Desencarne de Jésus Gonçalves – 16 de Fevereiro 1947

286

“Não duvides mais, Deus existe”

Salve Jesus! Salve Maria Santíssima!

Hoje vamos falar de um grande espírito trabalhador da nossa casa, o Templo Espiritual Maria Santíssima. Vamos falar sobre Jésus Gonçalves, esse grande trabalhador que vem contribuindo para todos os trabalhos dessa casa.

No dia 16 de Fevereiro de 1947 ele voltava para Pátria Espiritual. Também conhecido como Apóstolo de Pirapitingui, Jésus Gonçalves fez parte do planejamento e da formação do Templo Espiritual Maria Santíssima, no dia 18 de Maio de 2000, juntamente com Maria Santíssima, Bezerra de Menezes, Paulo de Tarso e Adolfo Schultz.

 

Em sua última encarnação, Jésus era um ateu declarado, que no auge do drama da enfermidade que o acometeu, a Lepra, converteu-se ao espiritismo. Ele teve sua vida pautada em dor e sofrimento. O seu retorno à Terra pela misericórdia divina, com o corpo envolto pelas Chagas foi o que fez com que o ocorresse o amadurecimento de sua alma.

 

Sua primeira encarnação foi em 370 D.C, como Alarico I, o Rei dos Visigodos. Naquele momento, era um grande general que através de todo seu conhecimento em guerra e sua sede de poder e conquista, ele ia massacrando povoados, destruindo verdadeiras cidades.

Ele realmente acreditava ter o mundo ao seus pés e por onde ele passava, deixava rastros de tristeza. Mesmo quando todos já estavam subjugados, ele não se contentava e colocava as pessoas aos seus pés de forma cruel. Após seu desencarne, se deparou com as atrocidades cometidas e implorou à Pátria Espiritual por uma segunda chance.

 

Alguns anos depois, nasceu, dentro do seu mesmo povo, Alarico II. Tornou-se então o oitavo chefe do povo Visigodo. Mas envolvido novamente num ambiente de poder e conquista, mais uma vez ele não conseguiu e tornou-se um opressor, um tirano e um general muito cruel.

Voltando à Pátria Espiritual passou novamente pela análise de sua encarnação.

 

 

Sua próxima vida conhecida foi, quase mil anos depois, em 1585, como Cardeal de Richelieu, na França. Como um Cardeal, ele teve uma influência política muito grande, principalmente no reinado de Luís XIII, sendo seu primeiro Ministro. Ele foi o grande arquiteto do Absolutismo na França e um grande líder em todo o país. Mesmo sendo um Cardeal, um homem religioso, a sua maneira de ser causava muito temor, tornando-se muito odiado.

 

Desencarnou vítima de uma estranha doença onde tumores surgiam em sua pele e ninguém sabia dar uma explicação. E assim desencarnou mais uma vez e apenas 350 anos depois ele recebeu uma nova chance.

Em Borebi, interior de São Paulo, no dia 12 de Julho de 1902, nasce Jesus Gonçalves. Muito cedo, com 3 anos de idade, morre sua mãe e ele muito jovem precisa empregar-se como trabalhador braçal. Aos 15 anos, seu pai desencarna e então ele muda-se para Bauru e aos 20 anos de idade ele se casa com Theodomira. Porém, a infelicidade bate em sua porta novamente e, aos 28 anos, perde sua esposa, ficando com seus 6 filhos.

Dentre as coisas que ele gostava de fazer, tocar música era de suas favoritas. Além disso, também gostava de escrever, era diretor e ator de teatro e colaborava com alguns jornais locais. Dois anos depois, descobre ser portador de Hanseníase, que na época era conhecida como Lepra. Uma doença muito temida que, inclusive, foram feitos asilos onde as pessoas eram colocadas e nunca mais poderiam sair.

Ele temia deixar seus filhos sozinhos e optou por não ir à estes asilos. Enquanto cuidava deles, uma vizinha que lhe ajudava, Anita Vilela, acabou por se tornar sua segunda esposa.

Ela era espírita, conversava com ele sobre isso, mas ele era totalmente descrente e nem gostava que esse tema fosse citado.

Algum tempo depois, Jesus Gonçalves descobre que um de seus filhos, também é portador dessa doença. E assim, obrigatoriamente ele foi levado a um asilo onde ele teve que seguir a vida e fundou um jornal chamado “O Momento”, além disso, também fundou um time de futebol e um grupo teatral.

Sua doença acabou piorando e foi transferido para a Colônia de Pirapitingui, onde ele viveu até seus últimos dias de vida.

Sua esposa, que havia se mudado para a cidade, para não deixá-lo só, acabou por desencarnar. Durante o velório, uma pessoa, que era um médium, estava presente e transmitiu uma mensagem psicofônica. Foi algo que dizia somente entre ele e sua esposa, uma mensagem que ele poderia reconhecer. E a mensagem dizia: “Não duvides mais, Deus existe”. E nesse momento ele se dá conta de que a vida espiritual existia e passa a estudar o espiritismo com afinco.

 

Até que no dia 16 de Agosto de 1945 ele funda, junto com a sua terceira esposa, a Sociedade Espírita Santo Agostinho. Passou então a atender pessoas que vinham a procura de desobsessões, incorporações e todo tipo de atendimento que o espiritismo poderia oferecer.

 

 

Com sua doença se agravando, chegou ao ponto de não conseguir mais falar pois suas cordas vocais haviam sido seriamente danificadas. Vinte dias antes do seu desencarne, diante de uma plateia de aproximadamente 300 pessoas, os espíritos devolveram a voz a ele e ele trouxe mensagens de elevado teor durante duas horas. Ao final, sua voz desapareceu totalmente e em poucos dias desencarnou.

 

Deparando-se na Pátria Espiritual, ele pediu para que seu nome Jesus, passasse a ser Jésus pois ele não se sentia no direito de ter o mesmo nome do mestre Jesus.

Então aqui dedicamos a nossa gratidão e nosso amor a esse grande Irmão!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, deixe seu comentário.
Por favor, coloque seu nome aqui