Há um grande mito ou lenda urbana que ganhou força nas últimas décadas, que é o uso de hormônio de crescimento em frangos de corte, que desde sua saída do ovo até o dia do abate, levam aproximadamente 40 dias de vida.

O que ocorre na realidade, é que não são utilizados hormônios, mas sim antibióticos conhecidos como “Promotores de Crescimento”, com a finalidade de evitar surtos de doenças respiratórias ou intestinais, que podem causar grandes prejuízos pela diminuição da produtividade ou mesmo a morte precoce dos animais.

Cientificamente, já foram realizados alguns estudos com o uso de hormônio de crescimento em aves; entretanto, eles não respondem ao desse hormônio. Além disso, seria uma opção economicamente inviável porque se fosse dado na ração, esse hormônio sendo uma proteína, seria digerido como parte da dieta e por via injetável tampouco porque as aplicações devem ser diárias e fazer isso em lotes de 10 mil, 20 mil aves ou mais, inviabilizaria a criação, além de elevar o preço da carne de frango a níveis fora do alcance dos consumidores.

Os grandes responsáveis pelo sucesso da avicultura estão na combinação de: NUTRIÇÃO, GENÉTICA e MANEJO.

Em média setenta por cento do gasto de uma empresa avícola está na nutrição das aves. Investe-se rigorosamente em um alimento de excelência que vá atender à demanda nutricional dos animais. Um nutricionista balanceia com exatidão, as necessidades de proteínas, lipídios, carboidratos, minerais e vitaminas em cada fase da vida dos frangos.

Um dos grandes responsáveis pelo rápido ganho de peso das aves de corte é o seu melhoramento genético. Anualmente são selecionadas as melhores aves e cruzadas entre aquelas que conseguem acumular mais peso, as que engordam mais rápido e que apresentam melhor performance. Assim, ao fornecer o aporte que permite que essa genética se expresse ao máximo, teremos aves que ganham peso em curto espaço de tempo.

O manejo está diretamente ligado aos cuidados com o meio onde as aves vivem e a forma como são tratadas, de forma a minimizar ao máximo o estresse e seus efeitos, que podem influenciar negativamente no desempenho das aves.

Esses fatores também atuam indiretamente na prevenção e no tratamento de doenças, auxiliando as aves a crescerem mais rapidamente, sem intercorrências.

No Brasil, o uso de hormônios é proibido pelo Ministério da Agricultura e Pecuária (MAPA), que possui um programa denominado Plano Nacional de Controle de Resíduos e Contaminantes (PNCRC) que faz análises nos Laboratórios Nacionais de Agropecuária (LANAGRO), de carnes (bovina, aves, suína e eqüina), leite, mel, ovos e pescado, em amostras de produtos que são destinados à alimentação humana, para verificação da possibilidade de uso ilegal desses produtos.

Como dito anteriormente, embora não sejam utilizados hormônios, são utilizados promotores de crescimento, que são antibióticos utilizados em dosagens muito baixas, bem inferior à utilizada para fins terapêuticos. Estes compostos auxiliam na melhora das condições sistema respiratório e do trato gastrointestinal, prevenindo problemas respiratórios e diarreias respectivamente, consequentemente, fazendo com que as aves não adoeçam e aproveitem melhor o que ingerem.

A utilização de promotores de crescimento gera muita polêmica, sendo proibidos em diversos países, uma vez que se acredita que possam ser responsáveis pelo surgimento das conhecidas resistências bacterianas aos antibióticos, fazendo com que os medicamentos semelhantes a esses, utilizados para doenças humanas, se tornem ineficazes.

O Brasil é o maior exportador de carne de frango do mundo. Maior do que os EUA e China em termos de exportação e por isso não é algo para amadores. Nenhuma empresa avícola jogaria tudo água à baixo, especialmente porque fazem altíssimos investimentos em pesquisa, buscando a inovação em nutrição, genética e manejo.

Os mitos ou lendas urbanas costumam enganar muitas pessoas e por este motivo trazemos este tema a todos nossos leitores, com os esclarecimentos necessários para que tenham a oportunidade do aprendizado e de terem argumentos para esclarecer outras pessoas igualmente equivocadas.

 

Leslie Avila

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, deixe seu comentário.
Por favor, coloque seu nome aqui