Trinta segundos. É o tempo máximo que nosso cérebro precisa para criar um preconceito a partir da imagem de uma pessoa que está se apresentando em um ambiente pela primeira vez. Somos seres visuais, do contrário não teríamos olhos. Enxergamos, sentimos, pensamos e verbalizamos. Aquele ditado que diz para não julgarmos o livro pela capa é uma forma sensata de pensar, porém não funciona na prática, pois de forma espontânea nosso cérebro nos presenteia com uma conclusão sobre quem estamos analisando, seja bom ou ruim.

A imagem que apresentamos nos ambientes que frequentamos dizem muito sobre nosso status social, comportamento, personalidade, competências, qualidades e valores pessoais. Claro que em muitos momentos nos enganamos, pois nem todos entendem a importância de uma boa imagem pessoal na vida social e profissional, e por este motivo apenas cobrir o corpo (de forma apropriada ou não) já parece ser o suficiente.

Para ficar mais claro, estou falando a respeito das roupas, sapatos e acessórios que escolhemos para o trabalho ou qualquer outro evento independentemente do nível de formalidade. Tudo que vestimos comunica algo. Por isso existe o tão comentado “dress code”, em tradução livre significa “o código da vestimenta”. Cada profissão exige um dress code específico que determina o nível de formalidade dos ambientes e transmite os valores necessários que representam uma instituição.

Advogados precisam de formalidade, e por este motivo vestem costumes (o que comumente é chamado de terno), pois comunica principalmente seriedade, sobriedade, credibilidade, competência e um certo distanciamento. Um designer gráfico que trabalha em um ambiente criativo se beneficia da casualidade do ambiente e pode vestir simplesmente jeans, tênis e camisetas, pois desta forma comunica acessibilidade, aproximação e leveza. As duas formas de apresentar-se estão corretas, pois estão adequadas aos seus respectivos ambientes. Esta troca não seria possível no ambiente de trabalho em que cada um atua. Só seria possível se o designer fosse convidado para um casamento onde o dress code fosse social, enquanto que o advogado estivesse participando de um churrasco no final de semana.

Entendeu o poder da imagem? Vestir significa entregar mensagens e intenções ao outro sem dizer uma única palavra. E a partir de agora estou aqui para explicar como sua imagem pessoal e profissional é uma ferramenta estratégica poderosa de posicionamento.

Logo, logo tem mais!

 

– Por Marcos Lanznaster
Consultor de Imagem

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, deixe seu comentário.
Por favor, coloque seu nome aqui