Saiba a origem e a importância de mais uma cerimônia realizada na Slava Sara Kali, que acontece nos dias 18 e 19 de maio, em Pouso Alegre/ MG.

Um dos momentos em que todos de um Clã se reúnem, é quando é acesa a fogueira cigana, formando uma corrente do bem para que, por meio da força da lua e dos quatro elementos essenciais que são o fogo, a água, o ar e a terra, abram caminhos de muito amor, prosperidade, saúde e equilíbrio nas famílias. Os peregrinos também dão as sete voltas ao redor da fogueira, indicando seus últimos sete ciclos, com o intuito de cada volta representar o firmamento dos pedidos que foram feitos. É acesa duas vezes, na abertura e no encerramento do evento, onde ciganas de alma realizam um belo bailado.

O fogo representa a chama da vida. Os peregrinos se reúnem ao redor da fogueira para celebrar e mostrar respeito a Deus e reverência à Santa Sara Kali. O fogo aquece os corações dos ciganos e faz com que a chama da espiritualidade e da paixão que existe dentro de nós se multiplique.

“Um cigano gosta de cor, gosta de música, gosta da natureza. O cigano preserva suas tradições, o cigano cuida de sua família, de seus anciões, um cigano nunca deixa outro cigano para trás.”

– Cigano Espiritual Don Carlos Ramirez –

O fogo foi a primeira fonte de energia descoberta e controlada pelo homem e essencial para o nosso crescimento evolutivo. Segundo a revista Science (Uma das mais prestigiadas do mundo acadêmico), há aproximadamente 164 mil anos, o homem já dominava o fogo na região onde hoje conhecemos como África. A partir desta conquista, o homem aprendeu utilizar essa força em seu proveito, extraindo a energia dos materiais da natureza ou moldando-a em seu benefício. O fogo sempre foi usando como forma de segurança e abertura de caminhos, sendo para proteger os antigos povos do frio, aquecendo-se em volta  de um fogueira ou iluminando seus caminhos em suas peregrinações enquanto migravam para novas terras.

Viajando um pouco mais no tempo, entre os séculos III e II A.C., na época em que o Império Romano invadiu e conquistou a ilha da Grã-Bretanha, os celtas ainda habitavam aquela região. Esses povos eram da religião politeísta, ou seja, acreditavam em vários deuses. Faziam seus rituais religiosos ao ar livre. No calendário celta havia diversas festas místicas como, por exemplo, o Imbolc (em homenagem a deusa Brígida). Essa festa marcava o início da época do plantio das sementes. As cerimônias e os rituais ficavam sob a responsabilidade  dos druidas, os sacerdotes dos celtas. Falando em rituais, a deusa Brígida é representada por três mulheres: Brígida, a poetisa; Brígida, a médica e Brígida, a ferreira. Também era conhecida como a deusa da Tríplice Chama, pois o fogo alimenta as

forjas, esquenta os experimentos dos alquimistas e incendeia a mente dos poetas. Brígida é uma das deusas chamadas de pan-célticas, uma vez que fora cultuada por todos os diferentes povos celtas. Diz a lenda que Excalibur, a espada do Rei Arthur, foi forjada pela Senhora do Lago, com o fogo sagrado de Brighid. Para os povos Celtas, o fogo representava a energia, vigor, purificação, transformação, mudança, paixão e coragem.

Na mitologia grega, Héstia é a deusa sagrada do fogo, que foi muito respeitada pelos deuses e os mortais. Está entre os 12 deuses do Olimpo, os principais do panteão grego e que residiam ali. Muitas vezes, ela é substituída por Dionísio e na mitologia romana, é chamada de Vesta. A simbologia do fogo atribuída a sua figura está intimamente relacionada com a chama das lareiras que aquecem os lares e os templos. O fogo de Héstia simbolizava também a vida, a cidade, a proteção e o sacrifício. Foi considerada a deusa mais doce de todas e a ela é atribuída a arte de construir casas,sendo assim, a deusa da arquitetura. Possui o símbolo de uma chama de lareira. Era adorada pelos gregos, uma vez que, representava a proteção.

Até nos dias atuais, o fogo é usado em diversos rituais. Nos casamentos Hindus, o noivo e a noiva dão 7 voltas ao redor de um recipiente com fogo. Esse ritual é chamado de Saptapadi. De mãos  dadas, eles dão 7 voltas, recitando o juramento. Este número refere-se a Terra, o Sol, a Lua e aos quatro planetas visíveis a olho nu.

Seja na história da espécie humana, como na história do indivíduo, a presença do fogo é marcante e definidora de símbolos, mitos e hábitos presentes na adaptação do ser humano no planeta.

Na Slava Sara Kali, o fogo é usado como um dos principais elementos, seja para iluminar nossos caminhos, com as velas que são seguradas durante a peregrinação ao Mirante Sara Kali. É a representação da fé, guiando, fortalecendo e lembrando dos propósitos dos peregrinos. O mesmo acontece ao acender a Mandala Egípcia e a fogueira.

Durante a cerimônia da fogueira, o fogo purifica os pedidos colocados nela, para assim, serem transmutados e elevados aos céus. Sabe-se que os ciganos sempre se reuniam ao redor de uma fogueira, seja para contar suas histórias, passadas de geração para geração, como para fazerem suas festas, sempre com muita alegria e bailado.

Em muitos grupos, a fogueira assume um significado místico e ritualístico, em que o fogo se torna elemento de purificação e transmutação de energias. Em alguns casos, onde existem pessoas doentes dentro do grupo, os ciganos acendem uma fogueira ao meio-dia, dançando em volta dela para dissipar essa energia que afeta o doente, usando do calor do sol e o calor do fogo, emanando essa luz para o doente.

Na cerimônia da fogueira na Slava Sara Kali, enquanto ela é acesa pelo Barô do Clã Espiritual do Amor Fraterno, Cigano Espiritual Don Carlos Ramirez, as mulheres bailam em volta, invocando seus ancestrais e, também, pedindo a eles esperança,  confiança, boas energias e prosperidade.

“Sete voltas na fogueira. Ali, cada um vai escrever seus pedidos, e vocês mesmos vão jogar na fogueira para serem elevados, para vocês saberem o que é o conhecimento milenar de um povo, as tradições. Comece a fazer isso tudo diante do céu, veja o que é sagrado e jamais corra atrás do prejuízo.”

– Cigano Espiritual Don Carlos Ramirez –

  Você se lembra das 7 voltas citada acima durante o casamento Hindu? Então, na Slava Sara Kali, somos convidados a dar 7 voltas em torno da fogueira, cada volta com seus respectivos significados:

1 – Para o amor;

2 – Para ter alimentos;

3 – Saúde;

4 – Felicidade;

5 – Prosperidade;

6 – Devoção;

7 – Gratidão.

“Começa hoje sua jornada até o Santuário Sara Kali, aonde vocês, diante da abertura do portal, conseguirão ver a Cidade Esperança, sublimada no alto, e todos aqueles que um dia quiseram ser como os ciganos, livres, porque um cigano é livre, ninguém prende a alma de um cigano, ninguém. Ali vocês verão todos em um único momento.”

– Cigano Espiritual Don Carlos Ramirez –

 

Por Rafael Higa e Bethânia Caetano.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, deixe seu comentário.
Por favor, coloque seu nome aqui