“Canta minha filha, tenhamos bom ânimo!” Essas foram as palavras sussurradas no ouvido de uma jovem seguidora de Jesus que estava presa, guardada a ferros, condenada por propagar as palavras do Cristo. Em uma masmorra, ela aguardava ser lançada aos leões juntamente com outros cristãos encarcerados.

Essa narrativa se passa nos primeiros anos do Cristianismo. A triste prisioneira, sem saber a razão que fez vibrar seu coração, se pôs de olhos estáticos, contemplando o firmamento pelas grades poderosas e começou a cantar profundamente a ponto de empolgar todos os que também estavam naquele cárcere. Aqueles que, até então, se sentiam desesperados, pois sabiam que a morte cruel estava próxima, naquele momento experimentaram no coração um consolo desconhecido e a música começou a se espalhar pelas masmorras e, como uma chuva de fluidos e esperança, tomou os corações daquelas pessoas que até o fim de suas vidas proclamaram fidelidade ao Cristo.

Essa passagem é contada pelo Espírito Humberto de Campos no livro “Boa Nova”, psicografado pelo médium Francisco Cândido Xavier. A história é narrada de uma maneira ímpar, em que se pode imaginar cada cena daquele momento emocionante e desesperador.

A relevância da música na vida das pessoas pode ser testemunhada de infinitas maneiras: desde a gestação da criança até a idade mais avançada. Ela pode descrever momentos de aflição a momentos de felicidade extrema… a música tem um poder como de mágica na vida das pessoas.

Nas atividades espirituais, a música é fundamental. Ela ajuda na preparação do ambiente e na manutenção da vibração elevada para que os trabalhos possam ser realizados da maneira adequada, que atinjam os propósitos da cura e da conexão com a espiritualidade elevada.

Em todos os atendimentos realizados no Templo Espiritual Maria Santíssima a música está presente e se adequa ao trabalho que está acontecendo: na alegria dos ciganos, na força dos protetores, na energia dos médicos. Toda a música é boa quando é feita com o propósito do bem e de levar uma mensagem positiva aos ouvintes, que acabam por multiplicar a vibração elevada por meio das notas musicais.

Pela música o médium se concentra com mais facilidade, o público doa seus melhores sentimentos e os espíritos do bem se aproximam e conseguem desenvolver o trabalho da maneira programada. E música elevada não é somente aquela que é considerada calma, mas é a que traz uma mensagem decente, de reflexão, de agradecimento. O estilo pode ser o mais versátil: o mais agitado que empolga e muitas vezes nos faz dançar, aquele com batidas fortes que nos faz querer voar ir ao infinito, o mais sereno que nos faz refletir e até mesmo nos emociona com as lágrimas.

A parte musical no Templo Espiritual Maria Santíssima se dá porque os atendimentos são feitos por e para pessoas que procuram a ajuda material, o auxílio para a evolução espiritual, a emoção, a expressão do que existe de melhor na alma. A música pode representar aquilo que não dá para simplesmente falar.  Muitas vezes é a única maneira de expressar os sentimentos, a forma mais humana de expor o que está sentindo na junção de um som, um ritmo e de palavras (em qualquer idioma). Não existe algo tão humano quanto a música, pois já nasce conosco (o bebê nasce cantando a sua maneira, por meio do choro) e nos segue além da vida.

O livro “Boa Nova”, citado no início deste artigo, ainda nos conta que quando Maria Santíssima passou para o Plano Espiritual, uma legião de espíritos veio ao Seu encontro para homenageá-La e levá-La aos lugares mais Divinos do Céu. Entretanto Maria (sempre nos surpreendendo com o Seu infinito Amor) humildemente pediu para ser levada às prisões onde os cristãos estavam encarcerados, aguardando pelo testemunho de serem devorados pelos leões. Ao chegar lá encontrou uma prisioneira com o rosto descarnado e macilento. E foi no ouvido dessa jovem criança que Mãe Maria sussurrou: “Canta, canta minha filha! Tenhamos bom ânimo! …. Convertamos as nossas dores da Terra em alegrias para o Céu!” Ah! Como não desesperadamente cantar depois de um pedido intuído como esse, uma canção que toca e eleva a Alma? “Um hino profundo e enternecido de amor a Jesus, em que traduzia a gratidão pelas dores que lhe eram enviadas, transformando todas as amarguras em consoladoras rimas de júbilo e esperança.”

Quando nos sentirmos encarcerados pelos problemas, esperando para sermos devorados pelos leões da dificuldade, da desesperança, da traição, da falta de fé e desilusão, nos lembremos de Jesus, nos lembremos de Maria, e como num sussurro aos nossos ouvidos cantemos ao Cristo! “(…) nos tormentos mais duros, os discípulos de Jesus tem cantado na Terra, exprimindo o seu bom ânimo e a sua alegria, guardando a suave herança de nossa Mãe Santíssima.”

Não há dificuldade que resista àquele que é convicto de sua missão.

Salve Jesus! Salve Maria Santíssima!

 

– Por Débora Nascimento

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, deixe seu comentário.
Por favor, coloque seu nome aqui