No jogo da vida, procuramos evitar perdas e conquistar ganhos. Queremos paz, amor, sombra e água fresca. No fundo, desejamos sossego, viver com segurança e prazer. Mas, a vida não deixa ninguém descansar, ela nos dá cada sacudida que às vezes perdemos o rumo e ficamos sem saber o que fazer.

Seguimos nosso caminho entre erros e acertos, e apesar de querermos vencer na vida, no final das contas, é a vida quem sempre ganha.

A nossa sociedade tem uma visão dualista das coisas, dividimos as cores entre claras e escuras, os sentimentos entre amor e ódio, as pessoas entre boas e ruins. Essa forma de olhar a vida é muito limitada, porque, na verdade, os caminhos são muitos, mas o destino é um só, a evolução. Além disso, esse ponto de vista motiva o desejo de que um dia todo mal se acabe, e o mundo passe a ser um paraíso na Terra. Só que isso nunca acontece, porque o propósito da vida é nos tirar da zona de conforto. Se nós vivêssemos num mar de rosas,  ficaríamos estacionados dentro do processo evolutivo.

O dualismo é apenas uma classificação, um conceito aprendido e utilizado por nós. A vida não rotula as situações e pessoas como negativas ou positivas. O que importa para a vida é manter o fluxo do movimento e evolução, ela quer que nossas habilidades latentes aflorem e se desenvolvam.

Tudo o que acontece na vida de cada pessoa tem um motivo, na natureza tudo tem uma função. Problemas e soluções, saúde e doença, conquistas e fracassos, são estímulos da vida nos provocando para desenvolver nosso potencial de ação que está adormecido. Os acontecimentos positivos são incentivos que nos impulsionam a evoluir através do amor, e os negativos nos forçam a evoluir pelo sofrimento. Ninguém pode conter a força da evolução, não adianta querer lutar contra ela, é assim que funciona o processo da vida.

Apesar da dificuldade de percebermos com clareza o objetivo da vida quando os problemas se apresentam, existem propósitos evolutivos atrás de cada situação. Todos nós estamos sob a influência da lei da evolução, não há como escapar. Por isso, quando as situações complicadas surgem é preciso sair do automático e fazer um auto-questionamento:

–  O que eu preciso aprender com essa dificuldade em minha vida?
–  O que devo mudar para superar esse problema?
–  O que a vida quer me ensinar?
–  Preciso desenvolver alguma habilidade?
–  Preciso mudar meu comportamento?
–  Estou agindo com base em alguma crença limitante?

Questionar nossa forma de ser, perceber o que a vida quer de nós, e ter a coragem de transformar nosso comportamento é o caminho que traz a solução dos nossos problemas.

Para vencer na vida é preciso saber ganhar!

A natureza é funcional, e a vida nunca perde, porque ela é governada pela lei da evolução.

Por isso, para trilhar o caminho da vida sem dar grandes tropeços é preciso evoluir sempre, quem está com a vida sempre ganha!

Por Gisela Campiglia – Voluntária do TEMS.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, deixe seu comentário.
Por favor, coloque seu nome aqui