A hipertensão arterial sistêmica (HAS) ou popularmente conhecida como “pressão alta”, acontece em todas as fases da vida e em todas as classes sociais. Há pouco tempo a hipertensão era associada a fase adulta ou envelhecimento. Hoje em dia qualquer pessoa seja criança, adolescente, adulto ou idoso pode sofrer deste mal silencioso sem saber, e quando os primeiros sinais e sintomas começam a surgir, ela já está instalada no nosso corpo. Mas vamos entender um pouco mais desta doença.

Com o avanço da tecnologia, as pesquisas em torno da indústria alimentícia, foram criando produtos não orgânicos e geneticamente modificados, dando acesso a uma variedade de alimentos industrializados, que fizeram com que a população mundial tivesse mais acesso a estes produtos com baixo preço e sabores (artificiais) mais atrativo que os orgânicos.

Com o passar do tempo, ao consumirmos esses produtos industrializados, cheios de químicos e tantas coisas mais que prejudicam a saúde, faz com que as nossas veias e artérias fiquem obstruídas, formando dentro delas um aglomerado de gorduras que vão estreitando a passagem do sangue para o nosso corpo.

(Imagem retirada da internet)

Esse excesso de gordura é chamado de dislipidemia ou colesterol alto e popularmente conhecido como “gordura no sangue”. O acúmulo dessa gordura faz com que os nossos vasos sanguíneos fiquem estreitos, diminuindo a passagem de sangue para o nosso corpo, e fazendo com que o nosso coração trabalhe mais e com mais força para que consiga enviar  o sangue rico em nutrientes e oxigênio (O²) e receba o sangue cheio de dióxido de carbono (CO²) de todos os nossos órgãos.

 

E onde entra a hipertensão nessa história?

 

Com o estreitamento das artérias e com o aumento da força que o coração tem que fazer para mandar e receber o sangue para o corpo, vai causando uma lesão nos vasos sanguíneos e danificando o coração. Essa pressão com que o sangue é jorrado pelo coração contra as artérias, é chamada de pressão sanguínea ou hipertensão arterial sistêmica (HAS).

É claro que diversos fatores além da alimentação podem elevar essa pressão arterial, de fatores genéticos a emoções fortes causadas por estresse. Mas o principal vilão desta história é o sódio, que encontramos em vários alimentos orgânicos ou não. Este componente é importante para o nosso organismo, mas em excesso pode provocar a hipertensão.

 

Quais são as consequências da hipertensão

 

Segundo a Sociedade Brasileira de Hipertensão (SBH), a HAS ataca os vasos, coração, rins e cérebro. Os vasos são recobertos internamente por uma camada muito fina e delicada, que é machucada quando o sangue está circulando com pressão elevada. Com isso, os vasos se tornam endurecidos e estreitados podendo, com o passar dos anos, entupir ou romper.

Quando o entupimento de um vaso acontece no coração, causa a angina que pode ocasionar um infarto. No cérebro, o entupimento ou rompimento de um vaso, leva ao “derrame cerebral” ou AVC. Nos rins podem ocorrer alterações na filtração até a paralisação dos órgãos. Todas essas situações são muito graves e podem ser evitadas com o tratamento adequado.

A HAS acomete uma em cada quatro pessoas adultas. Estima-se que atinja em torno de no mínimo 25 % da população brasileira adulta, chegando a mais de 50% após os 60 anos e está presente em 5% das crianças e adolescentes no Brasil. É responsável por 40% dos infartos, 80% dos derrames e 25% dos casos de insuficiência renal terminal.

 

Sintomas

Na maioria da população não causa sintomas (por isso é conhecida como doença silenciosa), mas muitos sinais são associados a HAS tais como:

– dores de cabeça;

– sangramento pelo nariz;

– tontura;

– rubor facial (vermelhidão) e cansaço.

 

E nos casos mais graves pode apresentar:

– dores de cabeça;

– vômito;

– dispnéia ou falta de ar;

– agitação e visão borrada decorrência de lesões que afetam o cérebro, os olhos, o coração e os rins.

 

Tratamento

 

Depois de instalada essencialmente não há cura, mas deve ser tratada para não haver maiores complicações e agravos a saúde. Realizar sua consulta periódica ao médico, fazer uso adequado e correto das medicações prescritas, e principalmente melhorar a sua alimentação e realizar atividades físicas diárias, ajudam e muito a estabilizar o quadro hipertensivo em quase 90% dos casos.

Procure alimentos com baixo teor de gordura (carnes magras), derivados do leite com baixo teor de gordura (semi-desnatados ou desnatados), dê preferência a alimentos orgânicos, integrais, reduza a ingestão de óleos (frituras), e principalmente produtos industrializados.

Faça uso de verduras, legumes e frutas, aproveite as frutas da estação e descubra novos sabores e paladares. Mantenha o peso sob controle, diminua a quantidade de sal na comida, diminua ou pare com o consumo de álcool (medicamentos com álcool não combinam), diminua ou pare de fumar.

Todas essas medidas ajudam não só no controle da hipertensão, mas nos ajuda a ter uma vida melhor e mais equilibrada.

 

https://www.youtube.com/watch?v=6uawr1CwTKw

https://www.youtube.com/watch?v=-Sm5cT51vQA

 

– Por Alexandre Nascimento

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, deixe seu comentário.
Por favor, coloque seu nome aqui