Quinhentos Reais: sacar ou não sacar? Eis a questão

Um dos assuntos que tem gerado bastante destaque nos últimos meses é sobre a mudança da modalidade do saque do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço). A partir deste mês pessoas que possuem contas ativas (emprego atual) ou inativas (empregos antigos) do Fundo podem sacar até o limite de R$ 500,00 de cada conta que possuem.

A partir dessa informação o que quero trazer para a nossa reflexão é: vale a pena retirar esse recurso? É importante que eu destaque que a intenção aqui não é decidir por você o que deve ou não fazer, mas apresentar informações para que você decida, diante da sua realidade e da sua necessidade financeira, o que você acredita ser o mais indicado na sua situação.

1)       A MP (Medida Provisória) que alterou as regras do saque também mudou (este ano) a porcentagem dos repasses dos valores: a partir de agora 100% dos lucros que você possui na sua conta de FGTS serão repassados para sua conta (anteriormente esse percentual era de 50%). Tem direito a essa participação todas as contas de FGTS que tinham algum saldo em 31 de dezembro de 2018 (ou seja, o seu dinheiro que ficou no Fundo ano passado).

2)      O rendimento é calculado da seguinte maneira: percentual fixo de 3% ao ano acrescido da chamada Taxa Referencia (TR) que hoje está zerada, e agora com o adicional de 100% da distribuição dos lucros. Esse prêmio é calculado com base no quanto o fundo rendeu até 31 de dezembro do ano anterior. Em 2018 essa somatória apresentou uma rentabilidade de 6,18% (segundo o Ministério da Economia). Ou seja, se você tiver R$ 1.000,00 no FGTS e não mexer no recurso dentro do prazo de um ano você terá ao final do período o valor líquido de R$ 1.061,80 (R$ 1 mil que era o valor inicial + R$ 61,80 de juros).

3)      Agora comparando esse mesmo volume de R$ 1mil com um outro investimento, que é muito popular: a Poupança que ano passado apresentou rendimento de cerca de 4,55% (ou seja no final de um ano de investimento o retorno foi de R$ 1.045,50). Abaixo outras comparações do Fundo com aplicações de renda fixa e simulação de investimento de R$ 1 mil. Veja como o FGTS supera todas as aplicações.

 


(imagem ilustrativa retirada da internet)

 

As informações acima são alguns exemplos de investimentos, entretanto, há outros que têm apresentado maior rendimento que o FGTS, mas levam em consideração que são prefixados por outros prazos, riscos e valores iniciais para aplicação. É importante ainda você saber que o percentual de lucro que você terá no resgate do Fundo (caso opte pelo saque) é proporcional ao saldo que você possui (o valor de R$ 1 mil serviu somente como parâmetro hipotético).

 

Mesmo sabendo do rendimento expressivo mostrado no quadro acima (o que estimula a princípio deixar o recurso na conta) há ainda informações importantes que você precisa saber para te ajudar a tomar a decisão: não existe garantia de que o lucro de 2018 se repita nos próximos anos; a opção por sacar faz com você tenha liberdade para movimentar seu dinheiro e aplicá-lo em outro investimento no qual você possua prazos mais flexíveis para retirada. Por outro lado o FGTS foi criado para servir como uma poupança forçada, por isso a ideia é a de que o dinheiro sirva para ajudar na aposentadoria ou ajudar a comprar um bem durável, por exemplo. É importante levar em consideração também a utilização dos R$ 500,00 na quitação ou negociação de dívidas, mas utilizar esse valor para consumo de curto prazo seria algo a se pensar se vale a pena, considerando a finalidade principal do produto (a segurança financeira).

Ainda sobre as mudanças para retirada dos recursos do FGTS é importante você saber: a partir do ano que vem será possível retirar uma parcela do fundo todo ano (chamado “saque aniversário”), entretanto caso haja demissão sem justa causa o trabalhador poderá sacar somente os 40% de multa do fundo (o valor integral continuará retido); as demais regras para retirada permanecem. Você pode obter outras informações no site da Caixa Econômica Federal sobre as datas dos saques, o quanto você tem disponível no Fundo, e sobre as condições de adesão (ou não) do saque automático.

Decidir o que fazer com seus quinhentos reais é tão importante como saber o que fazer com um recurso menor ou maior, porque ele pode parecer pouco para quitar todas as suas dívidas, mas pode servir como um ponta pé inicial para começar um investimento de longo prazo, por exemplo. Por isso colocar na ponta do lápis sua realidade e prioridade financeiras são essenciais para utilizar esse e qualquer outro recurso da maneira mais adequada aos seus propósitos, que podem começar com quinhentos, menos ou mais… saber trabalhar corretamente com aquilo que pode parecer ser pouco é um importante passo para aprender a lidar e conquistar o muito, em direção a nossa saúde financeira.

 

– Por Débora Nascimento
Economista

Bibliografia

 

http://agenciabrasil.ebc.com.br/economia/noticia/2019-08/trabalhador-ja-pode-cancelar-credito-automatico-do-fgts-na-caixa

 

https://www.google.com/amp/agenciabrasil.ebc.com.br/economia/noticia/2019-08/maior-rendimento-do-fgts-exige-atencao-na-hora-do-saque%3famp

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, deixe seu comentário.
Por favor, coloque seu nome aqui