O povo cigano sempre gerou curiosidade e receio pelos seus costumes e vida à margem das sociedades estabelecidas.

São a maior minoria étnica do mundo, vindos do oriente e rapidamente se espalharam pelas cidades mais prósperas da Europa em busca de condições de subsistência.

Conhecidos por sua liberdade, seus mistérios, pela dança, aromas e uso de oráculos, acabaram sendo responsabilizados, quase sempre injustamente, por furtos, desaparecimento de crianças e dissoluções de casamentos. Tudo isso aliado ao fato de não haver registros históricos de sua cultura, sofreram com o não reconhecimento de sua existência e tiveram que se adaptar aos locais pelos quais passaram, assumindo a religião e modo de vida dos lugarejos, sempre mantendo suas tradições de geração para geração, de maneira oral e fechada. Para que a cultura cigana se aproxime de todos, fomos perguntar aos Ciganos Espirituais sobre seus segredos!

1 – Prosperidade Cigana

Os ciganos sempre prestavam atenção nos detalhes, nos sinais da natureza, em como estava o vento, o ar, e até mesmo, as expressões das pessoas. Pois sempre quando iam para lugares diferentes, precisavam entender como aquele povo pensava, do que gostava, o que queria e do que precisava. Dessa forma, poderiam levar para eles o que realmente lhes seria útil. Acompanhando, prestando atenção e organizando suas tarefas e afazeres, os ciganos faziam dinheiro e eram muito prósperos. Faziam com que as viagens se custeassem e que seus conhecimentos pudessem ser compartilhados. E todos, de cidade em cidade, conseguiam o que precisavam.

Cigano Espiritual Julio Del Toro

2– Funções do Homem e da Mulher 

Dentro do Clã cada um tem uma função que não é melhor ou maior do que a do outro. Não precisam ser lembrados de seus afazeres. As ciganas cuidam das comidas, algumas cuidam das crianças, outras bailam, leem cartas e mãos. O dinheiro é conquistado para a sobrevivência do Clã.

Os ciganos ficam estrategicamente parados para não deixar que aconteça o pior, não podem piscar os olhos, para que não roubem suas famílias e mulheres. É dever do cigano cuidar dos filhos, das crianças. Todos os ciganos cuidam de todas as crianças do Clã, independente de quem fosse o pai ou a mãe. Os ciganos também têm um respeito muito grande pelos anciãos. Em todo Clã são os anciãos que vão aconselhando os dirigentes por sua experiência e aprendizados de vida.

 Cigana Espiritual Esmeralda e Cigano Espiritual Don Carlos Ramirez

3– Família

Nos primeiros dias do ano, as famílias ciganas se reúnem para contar aos seus filhos, afilhados, os mais próximos de sua família, sua história, trajetória, relembrar do sacrifício de seus antepassados, de seus avós, dos próprios pais e, assim, fazer uma projeção para o futuro familiar. Criam, desta maneira, uma boa vibração para conseguir prosperar durante o ano que se inicia. Sua história nunca foi escrita, pois os ciganos não escrevem suas histórias, elas são passadas de pais para filhos, de geração para geração, nessas reuniões.

O amor é a energia mais forte dentro de um Clã cigano. O amor é o que fortalece a luta, é o que envolve tudo, é o que vem para completar. Não há tempo, dor que separe, não há distância. O amor supera o tempo, é luz, é saúde, é trabalho, é riqueza.

Os ciganos espirituais caminharam por muitas cidades, vilarejos, países e continentes, com isso conheceram pessoas de todos os jeitos. Gente que queria saber qual o ouro que carregavam, queriam entender de onde vinham seus conhecimentos para poder fazer dinheiro com tudo o que sabiam. Olhavam suas mulheres com a intenção de seduzi-las, achando que as levariam por aquilo que era apenas material. As pessoas viam suas crianças brincando de um lado para o outro e não conseguiam entender como elas eram educadas, como sabiam ler, escrever, como conheciam os números e até mesmo como conheciam sobre o dinheiro. Cuidavam de sua família com base primeiramente nos ensinamentos de Cristo para depois buscar entender o que o Homem tem a ensinar.

Cigano Espiritual Julio Del Toro e Don Carlos Ramirez

4– Preconceito

Quando os Ciganos espirituais viviam no plano carnal não eram compreendidos. Os rotulavam com todos os nomes possíveis, como ladrões de crianças, bruxos e até mesmo magos. Porém, nunca levantaram a voz para revidar, apenas se uniam, e sua união era tão forte que ajudavam uns aos outros. Recolhiam as crianças que estavam perdidas, os órfãos de cidades que tinham sido saqueadas e as famílias mortas.

Seguem Jesus, Maria Madalena e Nossa Senhora, pois acreditam que não existe salvação longe do Cristo. Você jamais verá um cigano abandonando o outro, causando brigas, causando desavenças, separando casais, fazendo trabalhos de amarração, pois isso não é o que um cigano de verdade faz. Cigano de verdade é amor e traz esse amor para dentro de sua casa para que cada um consiga iluminar sua alma e tranquilizar seu coração.

 Cigano Espiritual Pablo Hernando

5- Fé e crenças

Os ciganos sempre cuidavam de sua fé por todos os lugares onde passaram. Sem a sua fé o cigano é um espírito sem direção. Os ciganos aprenderam a respeitar todas as crenças, como aprenderam a respeitar as pessoas. Em todas as cidades em que passavam, por todo o continente Europeu, o ponto de encontro era a Igreja. Sempre com muito respeito levavam sua gratidão, depositavam uma cesta com os melhores frutos e o melhor de seu artesanato, pois acreditavam que a Igreja, que representa a casa de Deus na Terra, sempre deveria receber deles o melhor. Como não podiam entrar nas Igrejas, ficavam do lado de fora para ouvir a consagração e agradeciam a Deus. Entendiam o preconceito dos homens e não ligavam pois sabiam que era pela falta de conhecimento da cultura do povo cigano.

 Cigano Espiritual Don Carlos Ramirez

6- Bailado

O bailado para os ciganos espirituais é a forma mais sutil e eficiente de se trabalhar a energia das pessoas. Eles acreditam que o bailado ajuda a limpar, transmutar, movimentar e canalizar energias de amor no ambiente e, por meio delas, cultivam a alegria no coração de cada um. O bailado nunca é triste pois é uma expressão do espírito e não do corpo. Por isso, não se deve ter vergonha, deve-se bailar para Deus e para si. Quando estavam na Terra, sempre pediam para que as mulheres dançassem antes, e depois os homens. As mulheres começavam a dançar para movimentar energias, quando uma cigana dançava, a cidade parava para ver, pois colocavam magia em cada gesto, em cada olhar e em cada movimento. Aos que acham que os espíritos não bailam e não cantam, não conhecem os ciganos, eles elevam sua gratidão à Deus pelos movimentos e por sua alegria.

Ciganos Espirituais Don Carlos Ramirez e Julio Del Toro

 7- Perfumes

Os perfumes não eram tão fáceis de serem feitos como hoje. Os ciganos, quando encarnados, tiveram a ideia de extrair essências utilizando óleos misturados com algumas resinas e colocavam flores e madeiras perfumadas que encontravam pelo caminho. Aprenderam com outros povos a manipular os ingredientes, se aperfeiçoaram e por todos os lugares que passavam ensinavam como tirar a essência que é a alma da planta. No começo, não era um aroma agradável, porém persistiram e melhoraram o processo para que o perfume ficasse marcante. Os ciganos gostavam de usar os perfumes para deixar um rastro por onde passavam e, assim, mostrar para onde iam. Acreditam ainda que uma pessoa alegre, deixa um rastro de amor.

Hoje, são usados como energias trazidas do plano espiritual para a Terra. Por meio deles, os espíritos que não querem o bem das pessoas são afastados, pois não gostam de bons aromas. Todas as pessoas que usam os perfumes dos ciganos espirituais sentem-se melhor.

Cigano Espiritual Julio Del Toro e Cigana Esmeralda

8- União

No Clã cigano, a união é de fundamental importância. Nos momentos difíceis e felizes, se unem ainda mais, pois acreditam que tudo tem que ser compartilhado. Não se via união e alegria tão forte como a deles, o que gerava perseguições, já que os homens não conseguiam entender ou ter uma união tão forte quanto à deles.

De acordo com os ciganos espirituais o que os une é a fé, aquilo em que acreditam, aquilo que buscam e têm a certeza de que Nosso Senhor sempre caminha com eles.

Cigano Espiritual Don Carlos Ramirez e Julio Del Toro

   9- Romani

O idioma foi criado para que os ciganos pudessem discutir suas estratégias e esconderijos sem que as pessoas mal-intencionadas soubessem. Diversas vezes tinham de se esconder devido às perseguições. O romani era falado apenas por quem era cigano e estava dentro de um Clã.

O dialeto não foi passado para textos, cadernos ou livros, pois todos passariam a entendê-lo e muitos esconderijos seriam descobertos. Consequentemente, teriam morrido muito mais ciganos nas perseguições.

Cigana Espiritual Esmeralda

10 – Morte

Apenas no dia do desenlace os ciganos podem chorar e lamentar a morte do ente querido. Neste dia, os ciganos pegam um barco e colocam alguns pertences da pessoa, velas e moedas, assim como os vikings e egípcios, e levam ao mar, representando a travessia do espírito e para que cheguem ao destino cercado de amor e carinho. No mesmo dia, enterravam o corpo conforme o local em que estavam.

No outro dia, realizam a Polmana, uma festa com todas as comidas e coisas que a pessoa mais gostava. Um dia depois, escolhem se querem ou não ficar com alguns pertences da pessoa e o que ninguém quer é queimado. Não porque querem esquecer a pessoa, mas para que este fique guardado no coração e não mais nas lembranças materiais, para ajudar o espírito a se libertar. Isso não faz com que a dor desapareça, mas ajuda os familiares a chorarem apenas de saudades e não de lamentações.

Cigana Espiritual Esmeralda

Fonte: Palestras psicofonadas pelas entidades espirituais Ciganos Don Carlos Ramirez, Julio Del Toro, Pablo Hernando e Cigana espiritual Esmeralda.

Texto: Amanda Pimentel e Larissa Cesco

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, deixe seu comentário.
Por favor, coloque seu nome aqui